contribuição previdenciária, salário contribuição, terço constitucional, férias, STF,  RE 1.072.485, repercussão geral, tributário, tributario,

Ao julgar o RE 1.072.485, o STF decidiu que é constitucional a incidência de contribuição previdenciária sobre o terço constitucional de férias. O placar foi 9 votos a favor da constitucionalidade e 1 contra. Não votou o ministro Celso de Mello.

Ao julgar o extraordinário, o Ministro Marco Aurélio, relator do recurso, destacou que a referida verba, tem caráter salarial, “ante a habitualidade e o caráter remuneratório da totalidade do que percebido no mês de gozo das férias”.

Vale dizer, o Ministro entendeu que o terço constitucional de férias, tem natureza nremuneratória  e,  portanto,  se insere  no conceito  de  salário-de-contribuição,  tendo em vista que são verbas recebidas, periodicamente,  como  um  complemento à remuneração do trabalhador. O seu caráter é retributivo.

Foi proposta a seguinte tese: “É legítima a incidência de contribuição social sobre o valor satisfeito a título de terço constitucional de férias”.