Resumo: O post trata dos efeitos tributários no empréstimo entre sócios e sociedades, sendo aconselhável, sempre que se realizar uma operação, consultar um advogado para análise do caso concreto Operações de empréstimo de dinheiro entre sócios, pessoas físicas e jurídicas, para a sociedade são muito comuns. Contudo, é necessário tomar alguns cuidados. É imprescindível que as partes elaborem um contrato que contenha as seguintes informações: o valor do mútuo (empréstimo), a qualificação das partes e o prazo de devolução, os juros que serão pagos, entre outras cláusulas. Se não for feito contrato, o fisco pode entender que se trata de doação. Além disso, de acordo com o art. 592 do Código Civil, se não houver prazo previsto o pagamento do empréstimo, será considerado de 30 (trinta) dias, pelo menos. A remuneração do contrato de mútuo (encargos) deve ser estipulada considerando o valor praticado no

Este conteúdo está restrito a assinantes deste site!
Se você já é cadastrado, faça seu login abaixo!

Se preferir, cadastre-se GRÁTIS e tenha acesso ao melhor conteúdo!

QUERO ME CADASTRAR GRÁTIS!

Login de Usuários